Free songs

Geração de energia é insuficiente para abastecer o país

J929-Economia-Marcello-Casal-Jr_ABr-Órgãos-terão-que-apresentar-em-até-120-dias-plano-de-trabalho-sobre-a-produção-de-energia-no-paísO relatório aprovado pelo TCU (Tribunal de Contas da União) mostra fortes indícios de que a capacidade de geração de energia elétrica do Brasil é inadequada para garantir a segurança energética do país.

Para o tribunal, as falhas no planejamento da expansão da geração, a superavaliação da garantia física das usinas, a indisponibilidade de parte do parque de termelétricas e atraso na entrega de obras de geração e transmissão são algumas das possíveis causas desse cenário.

“No meu entender existem claros indícios no sentido de que a capacidade de geração de energia elétrica no país configura-se insuficiente, em termos estruturais, para garantir a segurança energética dentro dos parâmetros estabelecidos pelo CNPE (Conselho Nacional de Política Energética)”, afirma o relator Augusto Sherman Cavalcanti, no relatório.

O TCU também determinou que o Ministério de Minas e Energia, Ministério do Meio Ambiente e IBAMA apresentem um plano de trabalho em até 120 dias para estudos que deverão incluir a análise sobre hidrelétricas, políticas públicas para gás natural na matriz, entre outras exigências.

“Medidas adicionais”

Hermes Chipp, o diretor-geral do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) disse que “medidas adicionais” para o sistema elétrico só serão propostas caso verifique que o nível dos reservatórios não é suficiente para atender a demanda de consumidores.

A previsão da ONS, segundo Chipp, é que o sistema Sudeste/Centro-Oeste encerre novembro, fim do período seco, com nível dos reservatórios em 18,5%. Já na região Nordeste, o nível deve ser de 15% para o mesmo período.

Preparados para a Copa

Apesar da crise no setor de energia, o Ministério de Minas e Energia disse nesta semana que o sistema elétrico está “adequado” para receber os jogos da Copa do Mundo, e que as empresas estão preparadas para resolver eventuais emergências.

Disse ainda, em defesa das distribuidoras, que as obras prioritárias do setor elétrico para o campeonato já foram concluídas e que atrasos “pontuais” não prejudicarão o fornecimento de energia.

Documento divulgado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) revelou que apenas três das 12 cidades que receberão os jogos, haviam conseguido concluir o cronograma de obras previstas para o setor elétrico para a Copa.

P1030773